CANSADOS, MAS NÃO DERROTADOS

A sequência de jogos contra Ituano, Guarani, Fluminense e Novorizontino delineia o momento delicado por que passa o time do Cruzeiro na Série B. Mesmo a vitória de ontem não foi capaz de ocultar as dificuldades físicas da equipe, cuja intensidade se tornou uma característica marcante. E graças a essa intensidade foi possível produzir uma boa “gordura”, de modo a permitir que o Cruzeiro passe por momentos como o atual.

Não bastasse o cansaço dos jogadores, reconhecido por Pezzolano na coletiva após o jogo de domingo, é notório que os adversários já entenderam o esquema e estilo de jogo do Cruzeiro. A equipe raramente tomava gols, mas agora vem sofrendo alguns. A intensidade, baseada sobretudo na marcação em linhas altas, no foco da recuperação da posse de bola e na troca rápida de passes e ocupação inteligente dos espaços do campo, iria cobrar o preço mais cedo ou mais tarde: o condicionamento físico dos atletas.

Em que pese o momento, Cruzeiro somou mais três pontos e segue firme sob a batuta da torcida, que vem dando show após show nos estádios. O apoio reflete a luta dos jogadores em campo que, mesmo cansados, deixam tudo em campo. Dessa forma, podem se repetir jogos em que não haverá boa exibição, mas com os 3 pontos ao final. E isso é o que importa.

Nesta Série B, o Cruzeiro montou uma equipe extremamente competitiva. Não tenho dúvidas do acesso. Todavia, é preciso reconhecer que essa competitividade é para a Série B. Mantém 100% de aproveitamento em casa na competição, com 9 vitórias seguidas. 

Para a Série A, é preciso montar uma equipe que dispute em condições no mínimo iguais às dos adversários na elite do futebol nacional. Também não tenho dúvidas de que a gestão atual já está com o planejamento norteando suas ações com vistas ao ano de 2023. 

Pezzolano segue trabalhando e gerenciando o elenco, rodando bastante os atletas para minimizar os efeitos do desgaste físico que naturalmente sofrem. Novas caras estão chegando e, com elas, o início da montagem do grupo competitivo para o ano que vem, o ano da volta à Série A.

Edvano Lima

Rádio Novo Tempo Santa Luzia

Deixe seu Comentário